Animê e Mangá podem ensinar? Noções de natureza, ciência e tecnologia

Curso
Materiais

Curso livre e certificado, ministrado pela Profª. Bruna Navarone. Neste minicurso, vamos discutir algumas narrativas históricas e sociopolíticas na construção e divulgação de alguns mangás e animês japoneses, com base na seguinte questão: como a linguagem das emoções em mangás e animês podem comunicar o interlocutor sobre os impactos do desenvolvimento científico e tecnológico?

Objetivo(s): Compreender as imagens e narrativas presentes no animê e mangá como objetos de conhecimento que podem evidenciar relações políticas, históricas e sociais; Discutir as linguagens no animê e mangá que representam os impactos científicos e tecnológicos nas formas de interação entre indivíduo, natureza e sociedade.

Carga horária: 1 hora

Ementa

Considera-se que alguns mangás e animês têm abordado formas de relação dos indivíduos com diferentes noções de ciência e tecnologia.  Nessa perspectiva, algumas representações em mangás e animês podem ser compreendidas como resultado de um processo histórico e cultural (LUYTEN, 2000) que as contextualizam e ressignificam os fenômenos que estão sendo retratados (SONTAG, 2010). Sustenta-se que a interação do interlocutor com ambas as produções podem provocar reflexões sociológicas tanto para aqueles do ocidente como também do oriente, devido a sua linguagem que busca se aproximar do cotidiano de ambas as culturas (LUYTEN, 2000; COÊLHO; NASCIMENTO, 2010).

Essa perspectiva que contextualiza ambas as produções culturais japonesas também permitem mobilizar diferentes linguagens, textuais e imagéticas, de modo a tematizar e problematizar os fenômenos sociais a serem estudados, como as formas de relação entre indivíduo, natureza e sociedade (BNCC, 2018). Para colocar essa iniciativa de ensino em prática, as orientações da BNCC (2018) sugerem que a área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas devem propiciar a contextualização das condições de vida em diferentes sociedades.

A partir dessa contextualização, compreende-se as circunstâncias que situam os grupos sociais e suas percepções de mundo que atribuem significados às condutas que interferem e modificam o ambiente. Por exemplo, essas circunstâncias dizem respeito à influência de aspectos históricos, culturais e sociais sobre as formas e intenções que os grupos sociais no Japão e nos Estados Unidos realizam suas interações com a natureza, incluindo os problemas ambientais resultantes dessas interferências (BNCC, 2018; SANTOS; SAWADA, 2020).

Para ilustrar como essas narrativas podem ser representadas por algumas animações japonesas e mangás, serão apresentadas algumas imagens e narrativas do mangá e filme de animação japonesa Nausicaä do Vale do Vento [風の谷のナウシカ, ''Kaze no Tani no Naushika''] produzido por Hayao Miyazaki. É preciso ressaltar que nessa tentativa de contextualização desse mangá e filme de animação, não há intenção de buscar correspondência entre os fatos e as representações imagéticas. Pretende-se expressar possíveis ideias, concepções de mundo, sobre natureza, ciência e tecnologia. E, dessa maneira, possibilitar um modo de conhecer essas ideias e concepções na forma como sociedades as produzem visualmente (LIMA MOURA, 2011).

Metodologia 

Pretendo compartilhar por e-mail algumas leituras de acordo com as demandas, conhecimentos e interesses daqueles participantes que solicitarem para esse endereço (bnavarone@gmail.com). Essas são algumas leituras para serem feitas de forma assíncrona, sobre as abordagens das ciências humanas e sociais já mencionadas que tanto permitem evidenciar os sentidos e significados dessas narrativas imagéticas no filme de animação e mangá que tratam sobre possíveis interações dos indivíduos com a natureza, ciência e tecnologia, como também orientam sobre os tipos de linguagem e semânticas do corpo presentes nessas produções e como interpretá-las.

Os participantes que desejarem colocar em prática os conhecimentos compartilhados nesse curso livre, podem utilizar o fórum para escrever sobre as narrativas que conseguiram identificar em ambas as produções de Nausicaä do Vale do Vento que tratam sobre questões científicas e tecnológicas que participam do nosso cotidiano. Também podem escrever e discutir no fórum sobre:

“1) Quais relações entre natureza, ciência e tecnologia determinada imagem e narrativa está representando em ambas as produções Nausicaä do Vale do Vento? ”; 2) Como os significados e sentidos dessas representações que você já identificou têm orientado nossas percepções em relação à natureza, ciência e tecnologia? ”

Referências

ABU-LUGHOD, L.; LUTZ, C. A. Introduction: Emotion, discourse, and the politics of everyday life. In: ______(Eds.) Language and the politics of emotion, Cambridge: Cambridge University Press, 1990, p. 1-23.
BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. Tradução M. E. G. G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 2ª edição, 1997.
COÊLHO, C. T.; NASCIMENTO, E. L. Mangá: uma ferramenta didática para multiletramentos. In: Seminário de Pesquisa em Ciências Humanas, 8., 2010, Londrina, PR. Anais... Londrina: UEL, 2010. p.389-408.
COELHO, C. J. H.; MEIRA, R. A. Educação Ambiental Crítica e a filmografia de Hayao Miyazaki como recurso pedagógico de sensibilização à atitudes sustentáveis. In: ENCONTRO NACIONAL DO CONPEDI BRASÍLIA - DF, 26., Brasília, DF. Anais... Brasília: CICB, 2017, p.61-80.
HOMEI, A. The science of population and birth control in post-war Japan. In: [Ed.] WITTNER, D. G.; BROWN, P. C. The Science, Technology, and Medicine in the Modern Japanese Empire. New York: Routledge, 2016. p. 227-243.
KIRBY, D. The Changing Popular Images of Science. In: JAMIESON, Kathleen Hall; KAHAN, Dan M.; SHEUFELE, Dietram A. (Ed.) The Oxford handbook of the science of science communication. New York, NY : Oxford University Press, 2017. P.147-156.
LIMA MOURA, L. L. Imagem e conhecimento o uso de recursos didáticos visuais nas aulas de Sociologia. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, v. 12, n. 100, p. 159-182, 2011.
LAYRARGUES, P. P.; PUGGIAN, C.. A Educação Ambiental que se aprende na luta com os movimentos sociais: defendendo o território e resistindo contra o desenvolvimentismo capitalista. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 13, n. 1, p. 131-153, 2018.
LEMOS, J. V. B. Milagres Econômicos: uma comparação entre Brasil e China. Rio de Janeiro, 2012. Monografia – Departamento de Economia, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
LINSINGEN, L. V. Mangás e sua utilização pedagógica no ensino de ciências sob a perspectiva CTS. Ciência & Ensino, v.1, n.p., 2007.
MIYAZAKI, H. Nausicaä do Vale do Vento, vol. 1. Tradução Dirce Miyamura. Conrad Editora do Brasil. São Paulo, 2006.
Nausicaä do Vale do Vento. Direção: Hayao Miyazaki, Produção: Isao Takahata. Japão: Topcraft, 1984, 1 DVD.NYE JR, J. S. Soft power: The means to success in world politics. Public affairs, 2004.
OKANO, M. Ma - A estética do “entre”. Revista USP, São Paulo, n. 100, 2014, p. 150-164.
OKANO, Michiko. A representação da estética kawaii contemporânea: Lolitas. Cena cosplay: comunicação, consumo, memória nas culturas juvenis. Porto Alegre: Sulina, p. 195-218, 2015.
REZNIK, G; MASSARANI, L; MOREIRA, I.C. Como a imagem de cientista aparece em curtas de animação? História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.26, n.3, jul.-set. 2019, p.753-777.
2004.
SASAKI, C. Introdução à teoria da ciência. São Paulo, EdUSP, 2010.
SASAKI, E. M. Língua e cultura pop japonesa no Brasil: resultados de uma pesquisa de campo em São Luís (MA) e Fortaleza (CE). Estudos Japoneses, n. 35, p. 10-26, 2015.
SASAKI, E. Valores culturais e sociais nipônicos. In: Encontro sobre Língua, Literatura e Cultura Japonesa, 4, 2011. Anais... Rio de Janeiro: 2011, p.1-19.
SILVA, A. O. Fotografia e ensino de Sociologia. Revista Espaço Acadêmico, v. 16, n. 190, p. 41-51, 2017.
SILVA, C. C. M.; GUIMARÃES. Mudanças climáticas, Saúde e Educação ambiental como Política Pública em tempos de crise socioambiental. Revista de Políticas Públicas, v. 22, p. 1151-1170, 2018.
SONTAG, S. Sobre fotografia. Editora Companhia das Letras, 2004.
SILVESTRI, A.; BAKHTIN, M. M.; BLANCK, G. Bajtín y Vigotski: la organización semiótica de la conciencia. Anthropos Editorial, 1993.
WATANABE, M. The conception of nature in Japanese culture. Science, v. 183, n. 4122, p. 279-282, 1974.
WATANABE, P. D. A reinserção internacional do Japão no pós-segunda guerra mundial. In: ENCONTRO NACIONAL ABRI, 3, 2011, São Paulo. Anais... São Paulo: ABRI, 2011, n.p.
YAMAZAKI, J. N.; FLEMING, L.B. Children of the Atomic Bomb: An American Physician's Memoir of Nagasaki, Hiroshima, and the Marshall Islands. Duke University Press, 1995.
ZEMBYLAS, M. Making sense of the complex entanglement between emotion and pedagogy: Contributions of the affective turn. Cultural Studies of Science Education, v. 11, n. 3, p. 539-550, 2016.

Sobre o Professor

+3 inscrito
Não Inscrito
R$ 50,00

Curso Incluí

  • 3 Aulas
  • 1 Teste
  • Curso Certificado