O NTR e o Período Heian: a tradição da traição

Dando continuidade a série de curiosidades do período Heian; se você consome hentai já deve ter esbarrado, acidentalmente ou não, com o gênero “netorare” ou sua abreviação “NTR” por aí. Curioso, deve ter clicado para ver do que se tratava e descobriu que um número muito grande de pessoas curte ver sua esposa/namorada tendo um caso na sua frente, para usar palavras mais educadas. Ou seja, é um fetiche de “cuck”, onde a pessoa sente desejo ao ver a pessoa amada ter relações sexuais com outro(s).

E o que significa “netorare”?

Para entender melhor, os kanjis de “netorare” são “neru” (dormir) e “toru” (tomar) e juntos não fazem sentido, por isso precisamos analisar o verbo “netoru” que significa “dormir com uma mulher/homem que esteja dormindo com outra pessoa”. E aqui temos uma explicação completa disso caso se interesse.

Todo ano, ao fazerem um levantamento dos “Top 10 Gêneros de Hentai mais buscados na internet” sempre aparece lá o “NTR”, ao menos no Japão, no ocidente este gênero não parece ter conquistado muitos fãs, e isso talvez tenha uma explicação histórica que data do período Heian (794-1185).

Tédio e traição

Neste período os homens, ao menos os ricos, deixavam suas esposas sozinhas em casa e partiam em viagens de comércio, reconhecimento, burocráticas ou batalhas. Nesta época a mulher (rica, claro) não podia sem se comunicar com o mundo exterior, ficando isolada em sua casa, normalmente atrás de um biombo de papel, escrevendo cartas que eram entregues por empregadas da casa. Ou seja, a vida era tediosa e solitária.

As mulheres, que raramente saíam de casa e só se comunicavam com a família e não faziam nenhum tipo de trabalho na casa (já que tinham empregados para isso) e quando estavam com seus maridos, era por um tempo limitado.

Além disso, como o casamento era arranjado entre a alta classe e os homens nem sequer podiam olhar diretamente no rosto das mulheres, as mulheres traíam seus maridos. E traíam muito. O período Heian é marcado por uma grande liberdade sexual e traição não era apenas permitida, mas também esperada. A mulher só precisava ser discreta. E ser virgem era algo ruim e suspeito.

Obviamente os homens tinham amantes também: mulheres casadas, serventes, damas de companhia. Mas as mulheres tinham o marido, o amante principal, os amantes secundários e os amantes casuais.

Parece algo estranho de se relacionar: NTR e hábitos medievais, mas muitas coisas deste período ainda refletem na cultura japonesa, como a cultura moe e kawaii e as investidas sexuais dos mangás conforme mostrado anteriormente.

Uma sociedade que não considera traição um pecado tem, em teoria, menos tabus com fetiches deste tipo, logo, seria visto com maior naturalidade e talvez por isso até hoje o “netorare” esteja nos “top 10” de gêneros de hentai.

Artigos Relacionados

Comentários